5 dicas que podem te ajudar no Processo Criativo

Por Vinícius Lins

Introdução

Tudo o que nós criamos é resultado de referências criativas. São os conteúdos que você absorve durante todo o seu dia-a-dia, podendo vir desde um panfleto que você pegou na rua,  até um filme no cinema.

Ter uma rotina onde a criatividade é um ponto de ignição, é altamente influenciável de como você vai lidar com as suas referências, estar preparado para receber essa informação e poder transformá-la e criar algo novo.

Contextualizando

Diariamente, lidamos com uma tempestade de informações vindas de todos os canais de comunicação nos quais usamos. Nos mantemos 24 horas por dia conectados em nossos smartphones, onde muitas vezes não conseguimos filtrar as informações apresentadas. Nos tópicos a seguir, vou apresentar de maneira breve, pequenas ações que facilitam na hora do processo criativo.

1.Anote tudo

Tomar notas é um dos hábitos que mais ajudam a lidar com o processo, seja no caderno, celular ou até em áudios no Whatsapp. Anotar e memorizar as suas ideias e referências é essencial para que você lembre das mesmas, já que muitas vezes, podemos ter grandes ideias significativas, que acabam se perdendo durante o caos do dia-a-dia. Se você criar um hábito de tomar notas, criar não vai ser tão difícil.

Desenvolver aquela ideia anotada mais cedo, pode ser responsável por solucionar seu problema na hora de criar um texto para aquela campanha ou a peça que faltava para você enviar a sua arte para o cliente. Anotar é rei, e dito isso, vamos para a próxima parte.

 2.Saiba em que fonte beber 

Semana passada eu escrevi um texto sobre um filme que me inspirou muito, sobre a obra de Sebastião Salgado que é digna de inspiração pessoal e profissional. Suas fotos me trouxeram vontades e pensamentos que eu podia nunca ter tido, e essa conexão me fez escrever aquele texto, estimulando assim novos pensamentos e vontades.

Dito isso, saber em que fonte beber, nada mais é do que saber onde buscar referências, onde se aventurar nesse vasto mundo cultural que a internet nos proporciona. Um bom começo é buscar curadores de conteúdo que tenham o seu perfil ou até mesmo algum que você se identifique. Buscar indicações de pessoas e personalidades em que você confia é um dos caminhos que podem lhe direcionar para uma boa referência.

Com os curadores, achamos uma ótima forma de filtrar toda a informação diária, pessoas ricas de conhecimento em determinado segmentos são excelentes para trocar uma conversa, onde a pessoa que domina determinada área poderia lhes proporcionar um resumo ou argumento interessante sobre o assunto.

Essas referências vão além de só ler um livro ou ver um filme, são situações e experiências vividas por você, e colocá-las em um contexto de criação é tirar o melhor das situações extraordinárias do seu dia.

Eu sei, pode parecer complicado no início fazer todo esse processo, mas a partir do momento onde você se propõe e tenta enxergar isso com outros olhos, você verá que consumir qualquer produto cultural é, de alguma forma, tirar o melhor dele. Faça disso um hábito, mas não esqueça de sair da zona de conforto.

3. Busque fora da sua bolha

Buscar fora da bolha nada mais é que sair da nossa zona de conforto, tendo em vista que nos dias atuais a internet acaba moldando a sua experiência, seja no Facebook (que filtra todo o seu contéudo para lhe dar experiências muito mais pessoais),  ou na Netflix (com aquele letreiro verde mostrando a relevância de tal filme ou série  que tem mais a ver com você).

Ampliar suas referências é mais do que você conhecer coisas novas pela qual você achou que nunca iria gostar, é explorar um vasto mundo de cultura que pode  lhe dar várias visões de mundo e vivências, como dito anteriormente; isso ligado a suas experiências de vida, gera uma nova ideia, que pode ser completamente original.

Não descarte o desconhecido, experimente, teste, aprenda e transforme. Depois disso, o bloqueio criativo passa a não ser aquele tortuoso caminho que você enfrenta quando ele inconvenientemente aparece.

4. Crie sem preocupação, mas seja implacável como editor.

Esse conselho é de um ilustrador que participou da série Abstract: The Art of Design, E o que Christoph Niemann quis dizer com isso?

Que como editor, ser implacável ao revisar o seu trabalho, e como artista, criar sem preocupações, pois se expressar com liberdade pode gerar excelentes ideias.  Fazendo esses dois papéis, o seu trabalho final tem mais chances de obter o sucesso almejado.

5. Use a música como combustível 

Essa é uma das coisas que tem papel fundamental na hora em que vou criar. A música serve como um combustível para o cérebro, auxilia no foco, na concentração e causa um efeito inspirador.

Adicionar música na sua rotina de criação pode facilitar e muito o processo. Tente primeiro com músicas que você gosta. Se não funcionar – muitas vezes músicas cantadas atrapalham -, minha sugestão é se aventurar por trilhas sonoras no Spotify e no Youtube. Lá você encontra trilhas e playlists  de vários gêneros.

Eu, por exemplo, enquanto escrevo esse texto, estou escutando a trilha de The Good, The bad and The Ugly do genial Ennio Morricone.

Esse canal tem playlists com sons ambientes e tranquilos, se alguém quiser começar por algo, pode ser por aqui.

E por fim:

Claro que esses métodos podem não funcionar com todo mundo, mas vale a tentativa, né? Explorar meios distintos de processos de criação é a melhor forma para você achar como fazer o seu.

E você? Como funciona o seu processo de criação?

O E-mail marketing ainda vive?

O E-mail marketing pode ser uma prática extremamente eficaz para as empresas. Infelizmente muitas não o sabem fazer.

O E-mail marketing nada mais é do que uma tática de estratégias de marketing direto. Por muito tempo essa prática foi considerada não funcional pela grande reprovação que ela tinha por parte do público alvo. Esse cenário fez com que muitas empresas de pequeno/médio porte não adotassem essa prática.

Muitos consumidores veem como uma nova versão das propagandas enviadas por correspondência. Ter o público encarando esse mecanismo dessa forma é extremamente prejudicial para as empresas. Apesar de que a culpa por essa má fama é exatamente delas.

Mas apesar da má reputação, o E-mail marketing pode ser extremamente funcional e assertivo.

Então o E-mail marketing está vivo ou morto?

Bem, segundo um relatório feito pela Rock Content, 77,2% das empresas envolvidas na pesquisa utilizam estratégias de E-mail marketing pela chance de aumentar o tráfego do blog/site, pela chance de oferecer serviços/produtos ao consumidor e pela possibilidade de nutrir relacionamento com clientes e possíveis clientes segmentados.

Visto que atualmente, 90% das pessoas que utilizam internet tem pelo menos um E-mail e 98,7% o acessam diariamente, é válido considerar esse canal para tentar se comunicar com qualquer segmento de público.

Apesar de que com o relatório, foi possível identificar uma prática negativa das empresas. Segundo ele, 61.2% das empresas não mensuram o ROI (Return on investiment) dos seus esforços de E-mail marketing. É impossível legitimar a eficácia de uma prática sem medir o rendimento dela.

A base de uma boa estratégia de E-mail marketing é ter um mailing muito bem formado e segmentado. Segundo a pesquisa, apenas 49,7% das empresas envolvidas investem na nutrição de Leads.

Apesar da crença no E-mail marketing, pelo relatório é possível notar que muitas marcas ainda tem que amadurecer muito essa práticas em seus esforços de comunicação.

Qual o principal motivo dessa má reputação do E-mail Marketing?

Pelo mesmo motivo que as malas diretas tem. Pessoas não gostam de anúncios, elas gostam do que interessa à elas e isso pode ser um anúncio.

Erra quem acha que o conteúdo tem que ficar em segundo plano quando se está elaborando uma estratégia de comunicação. Publicidade é sobre conteúdo e não sobre formatos. Não é lógico utilizar a mesma abordagem que não era bem aceita das malas diretas e a usar no digital através do E-mail marketing.

O E-mail marketing pode ser muito funcional, basta ter uma estratégia muito bem desenvolvida e não deixar de levar em consideração os interesses do público.

 

Vaga Conteúdo – Estágio e CLT

Para a vaga de conteúdo da Leet, precisamos que você:

• seja curioso e esteja sempre disposto a aprender coisas novas;
• não tenha medo de se expressar, tanto nos conteúdos que produzir, quanto com os colegas;
• seja proativo e queira crescer junto com a gente;
• tenha interesse em aprender sobre SEO e wordpress;
• gostar de redes sociais e marketing digital é um diferencial;
• tenha uma boa base de Inglês.

Alguns benefícios:
• horário flexível;
• acesso a livros, cursos e materiais educacionais em geral;
• vale alimentação e transporte;
• ambiente super agradável;
• open bar de cerveja, café e paçoca.

Lembrando que são duas vagas: uma para estágio e outra para CLT, tá?

Curtiu? Então envie o seu currículo e portfólio (caso tenha) para careers@leet.tech

KPIs, Facebook e social media

Nesse mundo conturbado e barulhento chamado Internet, todos os dias (santos ou profanos) milhares de empresas disputam atenção dos usuários do universo chamado Facebook. Após 13 anos de existência, a rede social já pode ser considerada a mais importante entre as existentes. Pesquisas mostram que o brasileiro gasta mais de 650h/dia em redes sociais e as empresas já entenderam que elas são de fato um território rico e amplo para gerar relacionamento, marketing e vendas. Mas então, será que é só postar e pronto, todo mundo vai visualizar, interagir com o seu conteúdo e comprar? É óbvio que não.

Imagine-se andando numa passarela e enquanto anda milhões de pessoas te entregam cada uma um panfleto ao mesmo tempo. Confuso? Então, é assim que o Facebook está. São milhões de empresas anunciando em busca de novos clientes e portanto não basta apenas postar. É preciso estar atento ao conteúdo (que deve ser de qualidade e pensado para o seu público – persona –  de maneira especial) e muitas, muitas vezes se faz necessário recorrer aos anúncios. Mas então, quando anunciar, o que é necessário para que a campanha seja efetiva? Durante e após a campanha, o que avaliar? Nesse artigo vamos entender melhor o que são os KPIs e quais respostas eles podem trazer para que uma gestão de mídias sociais (social media) seja realizada de maneira efetiva.

KPIs, que bicho é esse #mds?

KPI – Key Performance Indicators – são indicadores de performance de seu negócio. Cada empresa define quais serão os KPIs mais importantes de acordo com cada campanha lançada e seu objetivo, para tal devemos observar a plataforma na qual será realizada a campanha e como utilizá-la de melhor maneira para atingir os objetivos definidos. É importante acompanhar de perto os KPIs definidos em cada campanha afim de evitar que a mesma tenha resultados diferentes dos quais foram planejados. (Você não vai querer seu cliente chateado com uma campanha fracassada não é mesmo?

Alguns KPIs

  • Taxa de engajamento:

Refere-se as interações que os usuários realizam nas publicações de sua página, tais como cliques, “likes”, comentários e compartilhamentos. Tendo cada uma delas um significado que pode dizer muito sobre o seu conteúdo e como o seu fã está a relacionar com ele. Por exemplo, se o usuário der um like em sua publicação, significa que gostou, tem interesse, seu negócio adentrou um passo no seu mundo particular, mas se ele compartilha, ahhh, então parabéns, seu conteúdo tem qualidade suficiente para ser propagado. Deu pra entender não é?

A taxa de engajamento de uma publicação pode ser calculada de maneira simples:

– Nº total de interações em determinado período de tempo dividido pelo número total de alcance multiplicado por 100.

Por exemplo, Post “A” teve 3.785 interações e alcançou 8.271 pessoas. Minha taxa de engajamento é de 45,7%.

  • ROI :

Representa o retorno que determinada campanha trouxe ao cliente e é de longe uma das métricas mais importantes se o seu cliente trabalha com vendas. Entenda, curtidas e seguidores podem até agradar por um tempo, mas as pessoas estão mais interessadas verdadeiramente no lucro que o seu serviço trará para elas.

– ROI (%) = [ (Retorno do investimento total de investimento da ação) / total de investimento da ação] x 100

  • Timming:

É importante saber quais os melhores horários para realizar posts afim de não perder potenciais interações. Você não vai querer produzir um conteúdo que não seja visto pelo seu público .

Tem muito, mais muito mais KPIs soltos por aí. Podemos falar deles em outro artigo? Só pra não perder o costume, gostou? Foi útil? Compartilha com seus amigos social medias e fica ligadinho aqui no blog da Expolab que a gente se encontra novamente semana que vem com mais um artigo cheio de amor e dicas para melhorar sua performance.

Vaga para Recife – Design Gráfico

“Se você é designer gráfico, ligado nas tendências e gosta de inovação, essa vaga é pra você! O dia a dia consiste em criar material para mídia digital, elaborar identidades visuais e pensar estrategicamente o conteúdo para clientes. Para cadastrar o currículo e saber mais sobre a oportunidade, acesse o nosso site: https://goo.gl/7kjX5a.

* Currículos podem ser enviados até dia 12/9.”

Estágio em Publicidade – Recife

O CAPE – Centro de Artesanato de Pernambuco/Unidade Recife está com uma vaga aberta para um estagiário/a que domine bem o Corel Draw e Photoshop.
Horário: 13h às 17h
Valor: R$ 700,00
Currículos para imprensa@centrodeartesanato.pe.gov.br

A Sensibilidade Fotográfica de Sebastião Salgado em o Sal da Terra

Por Vinícius Lins

De uma sensibilidade profunda, a obra de Sebastião Salgado é referência na fotografia mundial. Seja de pessoas, paisagens ou animais, o seu olhar fotográfico transcende, atravessa a alma de maneira tão sutil que o envolvimento é quase instantâneo. É assim que o premiado documentário “Sal da Terra” retrata a vida e obra de um dos maiores fotógrafos do mundo.

Sebastião Salgado

Lançado em 2014 e com uma indicação ao Oscar, o documentário faz um levante de questionamentos enriquecedores, mostra um homem que optou por uma vida longe da família em nome da arte.

Campo de petróleo, Kuwait (1991) | Foto: Sebastião Salgado

Dirigido de maneira primorosa e intimista pelo conceituado diretor Win Wenders e o filho e co-diretor do filme Juliano Ribeiro Salgado, mostra a obra de vida de Sebastião, que durante 20 anos viajou colhendo momentos sublimes.

Pinguins em icebergs entre Zavodovski e Visokoi nas Ilhas Sandwich do Sul, perto da Antártida (2009) | Foto: Sebastião Salgado

O fotógrafo, durante o filme, contextualiza as suas fotos e traz a tona a sensibilidade oculta em olhares e cenas que foram vividas na sua pele, descreve desde o sentimento do homem a um olhar amigável de um animal selvagem. Sendo muitas vezes dolorosa, a sua fotografia é quase como um soco no estômago, retrata a miséria e a dor de maneira cortante, trazendo um sentimento de tristeza consciente para o público.

Serra Pelada (1979) | Foto: Sebastião Salgado

Com uma trilha sonora sutil que às vezes projeta um silêncio aconchegante,  nós vemos o filtro preto e branco de Sebastião Salgado com muitas cores, desde o início de sua vida em uma fazenda no interior de Minas Gerais, até o seu ápice criativo que foram os trabalhos ambientais com o “Projeto Terra” e a fotos que compõe todo o livro “Gênesis”, considerado por ele a sua homenagem ao planeta.

Um par de filhotes de elefante-marinh o-do-sul, na Geórgia do Sul (2009) | Foto: Sebastião Salgado

Um filme inspirador, que respira criatividade e sensibilidade, e deve ser visto por todos os amantes de fotografia e cinema.

Tem na Netflix.

Vaga – Assistente Marketing Digital

ASSISTENTE MARKETING DIGITALVaga em Jaboatão

Deve ter experiência anterior com mídias sociais.

Atividades: Desenvolvimento de campanhas patrocinadas e posts para redes sociais (Facebook, Instagram); responder pedidos, dúvidas e comentários nas redes sociais; criação de relatórios de desempenho das redes sociais; atualização e acompanhamento das campanhas no facebook; desenvolvimento de textos para os posts.

Qualificação nas ferramentas Photoshop e Illustrator são importantes. E vivência com edição de vídeos é um diferencial importante para a proposta.

Currículo e portfólio para rdantass@gmail.com

Oportunismo x Oportunidade

Em uma das capacitações da vida de estudante de comunicação que fui, foi abordado sobre a diferença entre o marketing de oportunismo e o de oportunidade. Mesmo não sendo o tema central da palestra, aquilo me chamou atenção e claro, quando cheguei em casa, a primeira coisa que fiz foi pesquisar a respeito.

Dica: SEMPRE levem um caderninho para palestras assim, sei que usar o celular é ótimo, mas no meu caso, sempre acabo perdendo alguma informação. Gosto de anotar tudo, até slide.

Enfim, existe uma grande diferença entre o marketing de oportunismo e o de oportunidade. A oportunidade está ligada a uma circunstância oportuna, ou seja, uma ocasião favorável, o tal do momento certo para as coisas. Por exemplo: Quando utilizamos bem o ambiente externo para fincar o posicionamento da empresa.

Mas será que sua marca precisa se envolver em tudo que é “tendência”?

A resposta dessa pergunta nos leva ao tal do oportunismo, que de acordo com o dicionário, é uma tendência, prática ou política, de tirar proveito ou de acomodar-se a oportunidades. Creio que essa explicação já responde ao meu questionamento. Sua empresa/marca não precisa ser imparcial a tudo, porém também não precisa participar de todos os assuntos que estão em pauta hoje.

O que te faz diferente no mercado é a fatia que você escolhe para se manter, onde o seu público está e o ponto principal de investimento.