A Didática de Ensino como Ferramenta da Educação Corporativa

O termo Educação Corporativa é relativamente novo. Também chamada de Educação Empresarial, é quando a organização laboral estabelece um processo de ensino-aprendizagem, para obter, manter e disseminar conhecimentos. Se trata de uma alternativa para a empresa manter seus recursos humanos sem precisar recorrer à terceirização de instituições.

O Departamento de Recursos Humanos tem importância no processo de qualificação de pessoal. Isso porque a Educação Empresarial é definida como uma prática coordenada de gestão do conhecimento, em uma estratégia de longo prazo. Educação corporativa é mais do que treinamento empresarial ou qualificação de mão-de-obra. Trata-se de articular coerentemente as competências individuais e organizacionais no contexto mais amplo da empresa.

A maioria das ações de educação corporativa hoje é realizada dentro das próprias empresas, seja em salas exclusivamente dedicadas a esse fim ou nos espaços disponíveis como salas de reunião ou espaços para conferências. Hoje, a maior parte das ações de educação corporativa é voltada para o público interno das empresas. São eles os colaboradores, de todos os níveis, cargos e com diferentes tipos de experiência profissional.

A Educação Corporativa, embora seja mais para o público interno de colaboradores, também pode atingir o público externo (famílias dos funcionários, fornecedores, clientes e a comunidade). Estudos afirmam que até 70% do corpo de treinadores é formado por gestores da empresa, o que representa economia e a valorização do relacionamento dos profissionais. Quando um gestor ensina, além de se aproximar dos colaboradores pelo compartilhamento de experiências e pela instrução profissional, ele sente que a empresa valoriza sua bagagem profissional e que ela é valiosa o bastante a ponto de ser compartilhada.

Uma empresa que investe em educação corporativa, além de sair na frente de seus concorrentes por se preocupar com um fator tão importante como a capacitação de seus colaboradores, acaba recebendo um retorno imenso em questões como motivação, engajamento e produtividade. Treinar e desenvolver os colaboradores, integrando-os na cultura da organização, traz a motivação, pois o funcionário se sente valorizado, ao sentir que a empresa se preocupa com o seu crescimento.

Existem sete princípios que são norteadores para o desenvolvimento do processo de educação corporativa. Competitividade, perpetuidade, conectividade, disponibilidade, cidadania, sustentabilidade e parceria. Esses princípios, inclusive, são norteadores do processo de ensino-aprendizagem.

E onde entra a Didática de Ensino ?

A Didática é um dos ramos de estudos da Pedagogia. Trata-se de uma disciplina fundamental nos cursos de formação de professores e instrutores, também sendo uma ferramenta para o Mundo Corporativo através dos treinamentos nas empresas. Outra possibilidade é a chance mercadológica de ensinar em cursos técnicos, graduação ou especialização. Várias áreas do conhecimento pesquisam o desenvolvimento humano aplicado à Pedagogia, como: Filosofia,Sociologia, Psicologia, Antropologia, História, Política, Estatística, Biologia, Teorias da Comunicação, entre outras;
Por conta da instabilidade dos currículos fechados, acabados e prontos;

O debate nos conceitos de mudança e de aprendizagem, aplicados ao mundo corporativo, se esclarece em uma abordagem sociológica e psicológica, na aplicação de suas contribuições dentro da produção de saberes e conhecimentos. O que isso significa? Que a mudança não é um fator de aprendizagem, mas sim um catalisador de oportunidades para, aí sim, promover as aprendizagens necessárias dentro do mundo organizacional.

Dentro da Didática de Fnsino, em especial na Aprendizagem Corporativa, tem uma área específica de estudo: A Andragogia. Ao contrário da Pedagogia, que estuda a educação de mentes em formação, como as de crianças e adolescentes, o desenvolvimento andragógico enfatiza a educação de pessoas com o cérebro formado. Termos como a Necessidade do Saber, o Autoconceito do Aprendiz, as Experiências de Vida, a Prontidão em Aprender e a Motivação são fatores-chave para o ensino de adultos.

A partir do momento em que as organizações empresariais formularem um novo olhar para a qualificação de seus recursos humanos, forma-se um jogo onde todos ganham: empresa, funcionários, fornecedores, clientes e comunidade.

Seguem sugestões de livros sobre o assunto:

Educação Corporativa. Muitos Olhares – Maria Eboli ( Ed. Atlas)

Educação Corporativa – Marcos Baungartner (Ed. SENAC)

Educação Corporativa e Aprendizagem. As Práticas Pedagógicas na Era do Conhecimento por Eleonora Jorge Ricardo (Ed. QualityMark)

Educação Corporativa e Educação à Distância – Eleonora Jorge Ricardo (Ed.QualityMark)