Criatividade: conceitos e “pré”conceitos.

Criatividade foi o tema pulsante para iniciar este nosso contato. Em especial por ser designer e professora da área, a criatividade é um elemento presente nas minhas ações e reflexões.  Além de ser também uma inquietude minha e de meus alunos, pois a criatividade ainda gera muitas dúvidas, curiosidades, estereótipos e até mesmo, medos.

Atualmente, pesquisar, estudar e compreender a criatividade tornou-se para mim um propósito, tanto pessoal quanto profissional.  Um dos meus desafios como educadora é buscar a superação desses bloqueios ao questionar estes medos e estimular a criatividade latente em cada um de meus alunos e até em mim mesma.

Segundo nosso amigo Aurélio Buarque de Holanda, “criatividade é o substantivo feminino com origem no latim creare, que indica a capacidade de criar, produzir ou inventar coisas novas.

Um elemento que deveria ser estimulante e vivo em todos nós, independente da área em que cada um atue, a busca pela criatividade pode gerar, em algumas pessoas, angústia, medo e até depressão. Diferentes são os motivos ou bloqueios que possam estar gerando este sentimento. Mesmo sendo parte de nós, algumas pessoas expressam mais facilmente a sua criatividade, pois foram estimulados a isso.

Para Zélia Maria de Oliveira, em seu artigo sobre os Fatores Influentes no Desenvolvimento do Potencial Criativo, a família, a escola, o ambiente de trabalho, o contexto sociocultural e a saúde do indivíduo são os fatores que ela estuda e comenta em seu texto, publicado pela Universidade de Brasília. Neste artigo podemos observar que a criatividade é sim inerente ao indivíduo, mas precisa de estímulos vindos de diferentes esferas sociais para que se desenvolva e se expresse.

A maioria dos teóricos descreve a forte relação que a criatividade tem com prazer, satisfação e realização. A qual não deveria exigir esforço, deveria ser sempre algo natural e espontâneo. Uma verdadeira dicotomia para algumas pessoas.

https://www.youtube.com/watch?v=kBwx012f_Jo
Vídeo: COMO A SOCIEDADE MATA SUA CRIATIVIDADE EM UM PREMIADO CURTA METRAGEM PIXAR ESQUE

Não devemos esquecer que todos nós temos a capacidade de criar, faz parte da nossa sobrevivência enquanto espécie. José Predebon em seu livro, Criatividade: abrindo o lado inovador da mente, reforça a importância do homem fugir da norma, para não ser mais um mamífero com comportamentos repetitivos. ,,”O homem criativo não é o homem comum ao qual se acrescentou algo; o homem criativo é o homem comum do qual nada se tirou“, pondera Abraham Maslow [PREDEBON, 2010]. Não esquecendo o fato de que o esforço faz parte de qualquer mudança e evolução. No universo publicitário sabemos que muito mais que a inspiração, a transpiração é elemento principal de grandes projetos. Poeticamente fala Rubem Alves, “o milho de pipoca que não passa pelo fogo, continua a ser milho para sempre”.

Então qual o motivo para tanta agonia sobre o que envolve a criatividade?

Acredito que além dos estereótipos, “pré”conceitos e expectativas geradas em torno da criatividade, não só pelo que se espera sobre o ato de ser criativo, como também pela relação equivocada com genialidade, inteligência e inspiração. Atualmente, a criatividade vem sendo considerada o elemento principal para a economia do século XXI. Sinônimo de inovação, a criatividade é um elemento estratégico e uma grande vantagem competitiva na criação de novos produtos, serviços e no mercado profissional, associada a pró-atividade e talento.

Desde a antiguidade, de acordo com as minhas pesquisas e sob o ponto de vista da filosofia, a criatividade é parte da natureza humana, um dom divino, um “estado místico de receptividade a algum tipo de mensagem proveniente de entidades divinas”. (ALENCAR, 2001). Havia também a concepção que associava a criatividade à loucura, considerando as manifestações criativas como um ato impensado, que serviria de compensação aos desajustes e conflitos inconsciente da pessoa.

Seja por um motivo subjetivo e pessoal ou por uma questão social e econômica, a criatividade recebeu sim um certo “status” de superioridade. No entanto não é por ser complexa que a ideia é criativa. Simplicidade, sinceridade e satisfação também fazem parte da criatividade.  Observando bem, alguns outros “S”, como subjetividade, superação, socialização, sonho, também poderiam complementar este processo para que possamos ter um desenvolvimento criativo de qualidade. Como bem fala José Predebon, “nossa verdadeira viagem é em direção à felicidade. Criatividade é só uma estrada.” [PREDEBON 2010]. ”

Então não se penalize!

Como em qualquer outra atividade, o exercício fortalece a capacidade criativa. Amplie seus horizontes, experimente coisas novas, leia mais, converse mais, pratique. Afinal, uma das melhores formas de ter boas ideias é ter muitas e escolher as melhores!

https://www.youtube.com/watch?v=mz95o6L_hFk
VÍDEO: O despertar da criatividade: João Belmont na TEDxAvCataratas

Encerro de forma poética, com o texto de Soraia Garcês, em sua tese de doutorado sobre a Multidimensionalidade da Criatividade.

Porquê Criar…

Porque Criar é ter coragem!

É enfrentar os medos e crescer,

Lançar-se de árvores e sonhar voar,

É ir para além do Eu,

Porque Criar é pintar o mundo de aquarelas coloridas,

É sonhar que tudo é possível,

É enfrentar tempestades e acreditar no impossível!

É Criar mundos de fantasia,

Ser Cinderela por um dia,

Viver nas nuvens,

Amar o desconhecido,

Desejar pelo melhor e lutar!

É querer viver sem limites,

É tornar-se adulto num mundo de criança

Ou

Ser criança num mundo de adultos?

É imaginar a tristeza e tornar a alegria, realidade.

É trazer esperança e vivê-la,

É ouvir e pintar as notas no mar azul,

É olhar o céu, agradecer e pintá-lo de verde nas pedras de esperança de um futuro escondido.

É lutar, tentar e vencer!

É construir O caminho,

Lutar pelo sonho,

Transformá-lo em história, sorrir e aprender a Ser Feliz! 

 


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALENCAR, E. M. L. S. Psicologia da criatividade. Porto Alegre: Artes Médicas. 1986

PREDEBON, José. Criatividade: abrindo o lado inovador da mente. São Paulo : Atlas, 2010.  7. ed.

GARCÊS, Soraia Fernandes. A Multidimensionalidade da Criatividade: a pessoa, o processo, o produto e o  ambiente criativo no ensino superior. Tese de Doutorado. Universidade da Madeira. 2014.


CURSOS E PROMOÇÕES EXPOLAB
Saiba de nossas próximas turmas: http://www.expolab.com.br/agenda
Conheça todas as áreas que atuamos: http://www.expolab.com.br/areas_cursos
Vagas de emprego e estágio: http://www.expolab.com.br/vagas 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *