Blog – expoLAB

Sociedade Rígida

Em um mundo com tantas mazelas sociais, de fato é preciso questionar. A problematização sistemática surge como um escape social diante desses problemas, pois além de questioná-los, busca combatê-los. Entretanto, até que ponto a problematização sistemática é saudável e realmente necessária?

Num hemisfério de ideias onde certos paradigmas devem ser respeitados, a melhor forma de atender a todos sem que haja qualquer atrito é a dissociação entre dois sentimentos: o de ACEITAR àquilo que é imposto e o de RESPEITAR a existência de novas formulações sociais.

A aceitação é apenas um presságio para o respeito, porém não são essencialmente a mesma coisa. O respeito a novas ideologias e ao fato do mundo está em constante mudança é a base fundamental para que novas relações interpessoais existam.

Hoje, temos uma sociedade dividida e subdividida em diversos planos ideológicos. Há diferenciação por classe, gênero, raça, sexualidade, entre outros. Questões como apropriação, preconceito, machismo são constantes dentro de uma sociedade múltipla e conservadora.

Desta forma, têm surgido cada vez mais grupos ideológicos capazes de reivindicar e questionar se certos paradigmas já existentes estão ou não em desuso. A era da problematização é o agora! Questionar sobre o nosso presente para que o futuro seja diferente. Porém, até que ponto, por exemplo, uma piada é humor ou desrespeito? Muitas situações que vivemos hoje nada mais são do que reflexos do passado. Diferenciar o humor e a agressão, o preconceito e o respeito estão na linha ténue existencial na qual é necessário saber se sua atitude mexe ou interfere na vida do outro. A problematização é necessária, é o caminho do presente para que tenhamos um futuro diferente. No entanto, ela não deve ser obrigatória!

A rigidez social em que “o certo é pleno e para sempre, o errado é pecado e imutável” faz com que não haja espaço para conversa entre polos diferentes de opiniões. Obrigar alguém a questionar é se igualar àqueles que antes lhe obrigavam a aceitar que você é o errado, mesmo você acreditando que era o certo. A sociedade é rígida quanto aos seus ideais, não é fácil aceitar o novo, muito menos vivenciá-lo.

Viver é algo bastante pessoal, não há como impor regras rígidas dentro de uma sociedade tão mista, seja ela local ou global. Todos temos pensamentos próprios e peculiaridades. O ponto chave para que vivamos em harmonia está no respeito!

 

 

CURSOS E PROMOÇÕES EXPOLAB

Saiba de nossas próximas turmas: http://www.expolab.com.br/agenda

Conheça todas as áreas que atuamos: http://www.expolab.com.br/areas_cursos

Vagas de emprego e estágio: http://www.expolab.com.br/vagas

Alfredo Galamba