Blog – expolab

É possível fazer cinema com iPhone?

fotografia: Ricky Fosheim

Uma das maiores preocupações para os realizadores de cinema, principalmente em início de carreira, é o equipamento. Ou a falta dele, pois poucos são os que entram no ramo já possuindo câmeras profissionais. Porém, alguns diretores importantes estão se mostrando animados – e produzindo – exclusivamente com câmeras de telefones celulares. Em especial, do iPhone. Mas smartphones são boas opções ou essa promessa de qualidade toda faz parte de campanhas de marketing?

Um iPhone dos mais recentes está longe de ser barato. Na verdade, consegue ser mais caro do que as câmeras fotográficas mais simples e que são muito usadas para filmagens em full hd. Como as Canon, por exemplo. Porém, pela faixa de preço e pela qualidade que entrega em termos de resolução (4k), o telefone da Apple pode ser uma boa opção para quem quer filmar. Até porque é possível fazer uma série de outras atividades com smartphones… Mas é preciso ter outras coisas em mente antes de decidir pelo iPhone ao invés de uma câmera de fato.

Michel Gondry é o diretor do filme Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças, drama de sucesso com Jim Carey. Recentemente, filmou um curta metragem só com o iPhone, chamado Détour – filme disponibilizado no canal da Apple no YouTube, o que denuncia que é um produto de marketing. Nele é possível perceber alguns pontos fortes e fracos em se filmar com smartphone. Assista abaixo:

Em Détour é possível ver o seguinte: A qualidade geral é muito boa, com cores vivas. Vários efeitos visuais são usados – muito provavelmente para mostrar as possibilidades do smartphone. Quase todas as imagens são feitas com muita luz (externa), melhor cenário para uma qualidade máxima do aparelho. Por outro lado, a profundidade de campo é bem alta (em outras palavras: não há aqueles fundos desfocados).

Isso pode ser um sintoma do aparelho: para desfocar o fundo, precisamos de sensores grandes (quanto maior, mais desfoque, como os full frame), lentes com aberturas maiores (f1.8, f1.4, f1.2…) ou lentes teleobjetivas (aquelas com muito zoom. Não é o caso dos smartphones em condições normais). Isso está longe de ser um problema, mas é um exemplo de limitação técnica/estética que os smartphones podem ter em filmagens.

Steven Soderbergh dirigiu alguns sucessos, como Erin Brockovich, Onze Homens e Um Segredo e Traffic, filme que lhe rendeu o Oscar de melhor diretor em 2001. Seu próximo filme, a ser lançado em março de 2018, também foi filmado todo com iPhone. Veja o trailer abaixo:

Nele percebemos algumas características que são perceptíveis em Détour, como a profundidade de campo alta. A noite americana (técnica em que imagens gravadas de dia são transformadas em noite na pós) também foi utilizada, talvez pela pouca sensibilidade do iPhone em baixas luzes – mas pode ter sido uma escolha de produção também.

Então o iPhone não é uma boa opção para gravações? Sim, o iPhone é uma boa opção para gravações! Porém, como todas as câmeras, possui limitações que devem ser levadas em consideração. Ao pensar em compra-lo, pense no seu orçamento, tipo de trabalho que vai realizar, o que você quer colocar nas suas imagens… e, se possível, teste antes para ver se o smartphone se adequa ao seu workflow. E lembre-se: a Apple está investindo pesado em marketing para convencer das qualidades da câmera do iPhone. E para conseguir resultado profissional, tanto Gondry quanto Soderbergh usaram estruturas profissionais de cinema (inclusive diretor de fotografia). Então não se frustre se o seu iPhone não entrega resultados parecidos. Afinal, o que faz um filme não é só a câmera ou resolução 4k, e sim um bom roteiro, uma boa direção e muita criatividade.

CURSOS E PROMOÇÕES EXPOLAB

Saiba de nossas próximas turmas: http://www.expolab.com.br/agenda

Conheça todas as áreas que atuamos: http://www.expolab.com.br/areas_cursos

Vagas de emprego e estágio: http://www.expolab.com.br/vagas