Blog – expoLAB

E-COMMERCE E PROPAGANDA: ESTÉTICA

A beleza é uma verdade. Queira estudar a beleza mas não de qualquer jeito. Queira, antes, fazer um estudo racional. Será possível conceituar o que é o ‘belo’? O belo é algo/alguma coisa que sabemos que é. Temos um padrão de belo na sociedade. O belo causa impacto.

Não é somente a possibilidade de conceituação mas a diversidade de emoções e sentimentos que esse belo provoca em algum ser humano. A propaganda mimética quer se aproveitar pra causar impacto num dado objetivo: PARADOXO. É mais fácil causar impacto de uma linha de cosmética em uma mulher linda do que em uma mulher com a cara troncha. O belo é uma questão subjetiva que muda todo dia, sempre existe e a sociedade convenciona.

O padrão estético de beleza muda e o belo provoca, em nós, sentimentos e emoções que podem ser direcionados para aquilo que desejamos fazer, convencer as pessoas a determinada coisa. Não adianta transformar em bonito aquilo que não é porque não vai ser; vai ficar, no máximo, ajeitado. Alguém bonito é alguém bonito. O que se pode fazer é como adequar o mais próximo possível daquele padrão que é padrão comum.

Existe uma estética específica na propaganda?

Cabedal de informações: propaganda ruim e boa. Quanto maior meu cabedal (repertório, referência, olhar crítico), maior o padrão estético apurado. O que a propaganda bonita pode causar nas pessoas? Tantas coisas…

Com meios tão distintos, há padrões comuns? Sim! E são 3! 1- padrão imagético, forma: padrão abstrato, antes de tudo, questões emocionais. A forma existe em qualquer meio independentemente dele ser gráfico. Não existe forma em rádio: a voz da cantora, ritmo, arranjo. A FORMA e o CONTEÚDO (textual, informativo, concreto) devem andar em equilíbrio. Não tem uma forma, quanto conteúdo. Arbitram os dois elementos: conteúdo (objetivo) e forma (impacto).

Essa duas estâncias, teoricamente, não se batem mas que estão o tempo todo dialogando e produzindo um produto uniforme/homogêneo que consiga (dentro dos objetivos, dentro da meta do produto) chegar àquele determinado padrão. São os padrões específicos estéticos da propaganda: forma, conteúdo e impacto. Existem mais porém depende do meio, produto.

Ser bom e ser belo tem relação direta na propaganda? Propaganda bonita é aquela que funciona: baboseira! Propaganda bonita é eficiente/boa mas não significa uma propaganda bonita. As questões estéticas compõem apenas uma parte das questões que temos que observar.

Propaganda pouco se lixa pra ser original. Desconstruir o belo e construir um novo padrão é difícil; coisa pra gênio. Causar impacto num dado objetivo, selecionar os elementos já existentes, nas estéticas, nas outras linguagens e se preocupar com esses 3 elementos ligados ao dialógico. O textual corresponde com o objetivo e o imagético com o impacto.

Kamila Crispina

Kamila Crispina

Caruaruense formada em Comunicação Social com habilitação em Publicidade & Propaganda pela Universidade Católica de Pernambuco. Residente em Recife há 4 anos, dedica-se a estudos sobre consultoria de negócios, empreendedorismo e redação publicitária.