A “Dama de Ferro”

Ter a chance de conhecer outro país é, sem dúvida, uma oportunidade que a gente abraça enquanto sonha em viver novas experiências e conhecer novas culturas. Quanto mais próximos da viagem, mais ansiosos ficamos, mais coisas separamos para levar nas malas e mais conversas sobre passaporte, visto e alfândega temos! Só depois percebemos que pouco refletimos sobre a história local. Pensando nisso, começaremos nosso circuito fincando a primeira bandeira no continente europeu, mais especificamente em Paris, na França!

A Torre Eiffel

O principal símbolo da França é a Torre Eiffel. Mas qual é a sua história?

Também conhecida como a “Dama de Ferro” que possui 303 metros de altura e pesa cerca de 10.000 toneladas, a Torre levou o nome do seu construtor, Gustave Eiffel, e foi erguida para comemorar os 100 anos da Revolução Francesa na Exposição Universal de 1889. Ela precisou de um pouco mais de 2 anos para ficar pronta, representou uma proeza técnica e arquitetônica francesa e tornou-se um ponto culminante da Era Industrial.

Inicialmente, a Torre Eiffel não duraria muito, mas foi através de experimentos científicos encorajados por Gustave, que ela não só foi usada para as primeiras transmissões de rádio em 1898, como serviu de rádio militar em 1903 e para a primeira rádio pública em 1925. Depois de junho de 1940, período em que ocorreu a invasão Nazista à França, Hitler visitou Paris e conheceu o monumento, entre outros pontos turísticos. É possível assistir tudo neste vídeo:

A partir da década de 80, o monumento passou a ser restaurado regularmente para receber um público que era cada vez mais numeroso. Além de ser belíssima à noite, trajando uma iluminação espetacular, pode ser multicolorida se estiver homenageando alguma coisa ou alguém (como os atentados que ocorreram no final de 2015 que levaram a Torre a vestir luzes nas cores da bandeira da França em homenagem às vítimas).

Segundo o site oficial do monumento, quase 250 milhões de visitantes de todos os lugares do planeta já tiveram a oportunidade de visitar a Torre Eiffel desde sua abertura oficial, em 1889. Muitos deles pagam para subir e ver a cidade através de uma vista deslumbrante! Os mais tradicionais, entretanto, costumam dizer que não é interessante, já que você não pode vê-la. Cerca de 7 milhões de pessoas visitam o local por ano. Destes, 75% são estrangeiros (sendo 3,3% deles brasileiros), o que faz dela, o monumento pago mais visitado do mundo.

Turistando

Dizer que se você vai à França, precisa conhecer Paris é tão clichê quanto: “Se você for à Paris, precisa conhecer a Torre Eiffel!”. Com estas informações, visitar o monumento agora deixou de ser apenas um lugar para um selfie e tornou-se uma área cultural de histórias e acontecimentos que merece atenção.

A França é um país que tem fronteira com a Bélgica, Alemanha, Suíça, Itália e Espanha. Portanto, se estiver visitando algum destes lugares, vale a pena pegar um trem, um avião ou até mesmo um ônibus (para quem tem mais tempo e disposição) e seguir para este país que conta com tantos pontos turísticos, estando entre eles: a Catedral de Notre-Dame, o Museu do Louvre, o Palácio de Versailles e a Champs-Élysées, uma das avenidas mais famosas do mundo!

A maneira mais barata de circular na cidade é usando o metrô. Em Paris, há diversas formas de chegar na Torre Eiffel, sendo a estação “Trocadéro” a mais recomendada, já que você sai de frente para o “Jardins du Trocadero”.

A vista reservada aqueles que sobem na Torre Eiffel é singular! De contrapartida, visitar a Catedral de Montmartre pode ser a solução para os mais tradicionais (falaremos dela noutra postagem!), já que fica numa altura considerável em relação à Paris, você não paga nada pela vista e pode ver o símbolo da França em destaque na paisagem da cidade!

O funcionamento da Torre Eiffel vai das 9h30 às 23h no inverno e das 9h às 0h no verão, todos os dias. Você pode comprar a entrada no site oficial (http://www.tour-eiffel.fr) ou direto nos guichês. Vale lembrar que os tickets só servem para o dia da compra e a fila local costuma ser grande!

 

Fonte: http://www.toureiffel.paris/