Blog – expoLAB

Mercado Financeiro se torna mais flexível com as Fintechs

No Brasil, o mercado financeiro é marcado por uma concentração predominante dos grandes bancos  (Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Caixa Econômica). Você, provavelmente, é correntista e utiliza o banco para realizar transações, empréstimos, abrir uma poupança, dentre tantos outros serviços. Esse cenário é muito propício para expansão das fintechs. Em 5 anos, já são mais de 400 empresas do ramo atuando pelo país.

O termo fintech deriva das palavras financial (finanças) e technology (tecnologia), e é uma startup com foco na tecnologia e otimização dos serviços financeiros para facilitar a vida do consumidor. Cada vez menos as pessoas vão às agências bancárias para resolver problemas com a conta, devido ao crescimento do Internet Banking. Com essa ferramenta, dá para resolver tudo com um toque, sem sair de casa. Os bancos tradicionais implementaram essa prática, porém, as fintechs ainda são mais eficientes porque são 100% digitais, e consequentemente, os custos operacionais são mais baixos, o que garante um alto investimento nos processos gerenciais e taxas menores de juros.

Além disso, essas empresas oferecem produtos mais especificados para cada tipo de cliente, priorizando a acessibilidade prática e rápida com soluções inteligentes. Se ontem era necessário filas e senhas, hoje basta  uma conexão à internet e cadastro nas plataformas onlines. O seu tempo é valorizado e a burocracia é deixada de lado. 

Atualmente, as principais fintechs são: Nubank (cartão de crédito ficou famoso por não ter anuidade), Banco Original (oferece gerenciador financeiro que programa os gastos do mês), Creditas (concede empréstimos) e GuiaBolso (aplicativo visa a organização de fundos pessoais).

Vantagens

As fintechs estão recriando o mercado financeiro e auxiliando o seu público no controle das finanças. A ideia de uma organização à sua disposição 24h, com benefícios atrelados a eficácia de ferramentas que oferecem suporte e liberdade de escolha, gera uma imagem positiva, e há expectativas de mais investimentos no setor.

O primeiro passo para a evolução das fintechs foi a identificação de nichos que possuem necessidades, nas quais, um banco com toda sua estrutura, não consegue suprir. Trouxe versatilidade para um setor que é muito regulamentado e, alguns anos atrás, parecia consolidado. 

Outro ponto assertivo, é o incentivo à educação financeira. A oferta de cartões de créditos com pequenos juros e sem anuidade, por exemplo, leva o consumidor a procurar uma opção que mais se adéqua ao seu estilo de consumo, buscar entender o que mais compensa para o próprio bolso. Infelizmente, o brasileiro não têm o hábito de estudar essa temática, e muito menos é estimulado a ter. Um imbróglio que afeta a situação econômica da sociedade, com as negativações e dívidas sem fim. 

Além do mais, com a expansão dessas startups, surge a concorrência que o mercado precisa para intensificar a melhoria dos negócios e a busca pelo consumidor.

Se você já faz compras pelo celular, chama motoristas particulares por aplicativo e consome conteúdos audiovisuais como séries e filmes, por que não organizar sua vida financeira com um toque na tela?

CURSOS E PROMOÇÕES EXPOLAB

Saiba de nossas próximas turmas: http://www.expolab.com.br/agenda

Conheça todas as áreas que atuamos: http://www.expolab.com.br/areas_cursos

Vagas de emprego e estágio:

http://www.expolab.com.br/vagas

Avatar

Camila dos Santos Souza

Estudante de Jornalismo apaixonada pela escrita. Escrevo principalmente sobre a área de comunicação, esportes e empreendedorismo. Buscando novos conhecimentos e caminhos através do Jornalismo, para contribuir com a verdade perante a sociedade.